[ Resenha ] A Torre Partida - J. Barton Mitchell

Título: A Torre Partida
Autor(a): J. Barton Mitchell
Série: Saga da Terra Conquistada #2
Páginas: 472
Ano: 2015
ISBN: 9788564850941
Ficção Científica / Young Adult

5 estrelas

Sinopse: A Torre Partida - Neste segundo volume da Saga da Terra Conquistada, Mira, Holt, Zoey e Max embarcam numa jornada épica em busca da Torre Partida - um marco famoso e sombrio no meio do cenário mais perigoso do mundo: as Terras Estranhas. Os poderes de Zoey despertam, mas quem ela é continua sendo um mistério. Tudo o que ela sabe é que precisa chegar à Torre Partida. Os alienígenas, chamados pelos sobreviventes de Confederados, perseguem Zoey, e entre eles um novo grupo cujas intenções parecem diferir das dos demais. Para tornar tudo pior, o Bando - grupo que persegue Holt - também está nas Terras Estranhas, liderado por uma bela e ameaçadora pirata chamada Ravan. Assim como o primeiro amor de Mira, Benjamin Aubertine, cuja ambição desmedida para chegar à misteriosa Torre pode levar todos à morte. E há também as próprias Terras Estranhas, que inexplicavelmente começam a se expandir, tornando-se ainda mais poderosas e mortais. De alguma forma, tudo parece ligado à Zoey, e quanto mais perto da Torre mais enfraquecida ela parece ficar.




Fala galera, tudo bom?

Se você não leu a minha resenha de A Cidade da Meia Noite, é só clicar, aqui.

Como de costume, vou comentar as minhas experiências com a leitura, como um todo. Não vou entrar em detalhes sobre a história, ou seja, essa resenha não tem spoiler

Quem me acompanha, sabe que eu AMEI a leitura de Cidade da Meia Noite e fiz uma super campanha no twitter a respeito do livro, sem contar dos vários e vários amigos que eu perturbei a respeito da história rsrs. 

As vezes, escrever a resenha de um livro que gostamos muito é extremamente complicada. A Torre Partida levou a série de Mitchell a outro patamar de intensidade e complexidade. A narrativa segue a mesma fórmula de A Cidade da Meia - Noite, bem descrita e incrivelmente fluida. Quando você le um livro com mais de 400 páginas bem rápido, é por que o autor está fazendo um bom trabalho, não é mesmo? 

Como eu disse na resenha do primeiro livro, eu me apeguei bastante aos personagens, eu me importava com tudo que acontecia a eles, sentia suas dores e brigava com eles mentalmente para cada atitude besta que tomavam. Nesse livro, a tensão tomou conta de mim do inicio ao fim. Todos os personagens tiveram um desenvolvimento incrível no decorrer da história. O próximo passo que eles deram em sua jornada trouxe muitas dificuldades. Fantasmas do passado ressurgiram para deixarem as coisas que ainda mais complicadas. 



A Torre Partida se passa em um terreno instável, e cheio de perigos. Eles não estão seguros em momento algum, cada passo tem que ser bem calculado. Muitas coisas estão em jogo, e a coragem, determinação e a capacidade de todos estão a prova a cada momento. Muita tensão durante as mais de 400 páginas. Vamos descobrindo muito mais a respeito de Zoey, que até então era uma grande interrogação, e o desenvolvimento da garota me pegou de surpresa. Até agora fico remoendo tudo que aconteceu no final desse livro.

“Zoey estava certa, Holt não tinha sido ele mesmo nas Estradas Transversais, e a explicação dele sobre a ligação com o Bando, as escolhas que tinha feito e com as quais tinha vivido... Bem não era tão fácil odiá-lo por nada disso agora. Ela suspirou e fechou os olhos. Por que tudo não podia ser mais simples?” 

Algo que eu senti falta no primeiro volume, que foi uma melhor aprofundamento nos artefatos e As Terras Estranhas, nessa sequência foram muito bem abordados. Cada novo detalhe adicionado por Mitchell, eu me via com olhos brilhando com a complexidade de tudo que o autor criou. Apesar de muitas coisas parecerem não fazer muito sentido, algo meio viajado, mas no fim, tudo faz sentido e o autor consegue encaixar todas as peças. Essa é definitivamente a minha série scifi favorita!

Novos personagens foram introduzidos e eu fiquei bastante animado com eles. Fico feliz de ver, que Mitchell cria personagens incríveis, fortes e decididos, especialmente as personagens femininas. Algo que não vemos com muita frequência. 

O final é completamente mind blowing, e eu ficava: Meu Deus, vai acabar assim!? Preciso da continuação pra ontem!!!



Bom gente, é isso. Talvez a resenha tenha ficado um pouquinho confusa, mas esse sou eu agora. Muitos feels. Se você não leu essa série ainda, ta esperando o que? Vai meu filho! Se joga =P

Forte abraço, pessoal!