[ RESENHA ] O Oceano no Fim do Caminho - Neil Gaiman

Título: O Oceano no Fim do Caminho
Original: The Ocean at the End of the Lane
Autor: Neil Gaiman
Editora: Intrínseca
Classificação: Infantojuvenil
Gênero: Fantasia
Nota: 5 + <3


Sinopse: Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino. Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.
Gaiman é um daqueles autores que todo mundo já ouviu falar, pelo menos uma vez na vida. Ele é bem conhecido tanto no ramo de livros quanto no de Hqs e tem muitas e muitas obras publicadas. A um tempo eu efetuei a leitura de Coraline, um livro incrível que eu me deliciei em cada páginas ( resenha ), a pouco tempo eu tentei efetuar a leitura de Deuses Americanos, não fluiu. Não sei se o fato foi a minha vibe no momento, ou se era a tradução/edição da Conrad. Pretendo fazer uma nova tentativa no futuro, talvez em inglês. 

Com a ideia do Mês das Bruxas, que veio da brincadeira que estamos fazendo no grupo Booktube Reading Budies no goodreads, algumas pessoas demonstraram interesse na leitura de O Oceano no Fim do Caminho e ele acabou entrando para o TBR do grupo e consequentemente para o meu. Eu estava com altas expectativas, visto que foi um dos últimos livros escritos pelo autor e MUITA gente tinha gostado. E posso afirmar que fui surpreendido em cada virar de página.

A história começa com um homem que já passou dos 40 anos, voltando a sua cidade natal para o velório. Em meio as lembranças que a cidade provoca, ele decide ir até a antiga casa da família e ao chegar lá, lembra da antiga fazenda dos Hempstock que ficava no fim do caminho. Aquela era a casa de Lettie, sua amiga de infância. Ele decide por ir lá e é recebido por um da senhora. Lá o protagonista segue para o lago que existe dentro da propriedade.
Mas ali, naquela saleta, tudo estava voltando. As lembranças estavam à espreita nos arredores das coisas, acenando para mim. Se você me dissesse que eu tinha novamente sete anos, por um breve instante eu quase poderia acreditar.
Ao chegar no lago, ele começa a se lembrar de tudo que aconteceu na sua infância e assim passamos a acompanhar a sua vida quando tinha 7 anos.
Para onde ela foi? Estados Unidos? Não, Austrália. Era isso. Algum lugar bem longe. E não era mar. Era oceano. O oceano de Lettie Hempstock. Lembrei-me disso, e, ao lembrar, lembrei-me de tudo.
A história se passa em Sussex na Inglaterra. O menino vivia uma vida feliz, apesar de algumas coisas. Ele não tinha muitos amigos, e passava a maior parte do seu tempo lendo, adorava seu quarto e a pia, que tinha o tamanho perfeito para ele. Sua família começou a passar por problemas financeiros e ele deve que abrir mão de seu quarto e passar a dormir junto com a irmã, assim os pais poderiam alugar o quarto.

Num determinado dia o menino percebe que o carro da família sumiu, e junto com o pai saem a procura do veículo. Eles descobrem o carro parado no fim do caminho, junto com o inquilino da casa morto, ele tinha cometido suicido. Aquele lugar ficava perto da propriedade dos Hempstock e lá ele conhece Lettie. A fazenda era controlada por três mulheres: Avó, filha e neta. Logo quando eles se conhecem o menino e Lettie criam um vínculo de amizade grande e começam a passar bastante tempos juntos. 

Depois do suicido do homem, muitas coisas começaram a acontecer na vida do menino, e junto com Lettie ele passou a vivenciar coisas que ninguém pensava que seriam verdade, coisas fantásticas e estranhas, monstros perigos e situações super complicadas.

Esse é um daqueles livros muito difíceis de escrever... Sabe aquele livro que meche contigo do início ao fim, e que mesmo depois de efetuar a leitura, você se pega pensando naquela história por semanas? Pois é, O Oceano do Fim do Caminho é um desses.

O livro é bem curtinho, não chega nem a 200 páginas, você consegue ler em poucas horas. A narrativa de Gaiman é muito gostosa, o livro passa e quando acaba você tá pedindo por mais. É fluída e muito rica em detalhes, seja sobre os personagens ou descrição de cenários, mas nada com que deixa a leitura enfadonha, pelo contrário, só faz com que o leitor queira continuar lendo.

Temos um personagem principal com 7 anos que passa por diversas situações complicadas e temos a sua amizade com a Lettie. E temos também os elementos fantásticos. Ou seja, muitas coisas acontecem e temos uma criança bastante peculiar. O menino é super bem trabalhado, como todos os personagens do Gaiman, nenhum é colocado ali só pra fazer número. Eu fiquei com um certo receio de achar o protagonista maduro demais para a idade, mas foi uma sensação que passou logo no início. 

Uma das marcas registradas de Gaiman, é você nunca ter certeza de nada. Você vai ficar super perdido no inicio da leitura, mas mesmo assim tu vai querer continuar com a leitura. No final melhora um pouco, mas sempre existe mais de uma interpretação para o que ocorreu, e isso acontece nesse livro.

Falar sobre o enredo e o desfecho da história sem dar spoilers é complicado rsrs. Esse é o tipo de livro que quanto menos você souber melhor. Gaiman consegue tratar de certas coisas de uma forma tão bonita e simples, que é difícil não se apaixonar. O cara tem o dom de escrever, sério mesmo. 

Essa resenha deve estar péssima, mas fica aqui a minha indicação para um livro incrível, que veio para disputar o posto de favorito do ano.

Bom gente é isso.
See you later folks!