[ RESENHA ] Half Bad - Sally Green

Titulo: Half Bad
Original: Half Bad
Autora: Sally Green
Editora: Intrínseca
Classificação: Young Adult
Gênero: Fantasia
Ano: 2014
Nota: 3,5

Sinopse: Nathan, filho de uma bruxa da Luz com o mais poderoso e cruel bruxo das Sombras. O adolescente vive com a avó e os meios-irmãos e é visto como uma aberração por seus pares. O Conselho dos Bruxos da Luz vê nele uma ameaça, que precisa ser domada ou exterminada. Prestes a completar dezessete anos – época em que todos os bruxos passam por uma cerimônia em que seu dom é finalmente revelado bem, como sua denominação como bruxo da Luz ou das Sombras –, agora Nathan terá que correr contra o tempo para achar o pai, que jamais teve oportunidade de conhecer, e salvar a própria pele.
A primeira vez que eu ouvi falar sobre Half Bad foi quando os booktubers americanos estavam recebendo copias das editoras, antes mesmo do livro sair lá fora. Primeiramente a capa tinha me chamado a atenção por ser bem bonita e depois começou o burburinho. Muita gente gostou, ou seja, fiquei com vontade de ler, afinal, o livro fala sobre bruxas, uma das "criaturas" sobrenaturais que eu mais gosto. Ao iniciar a leitura do livro eu vi que estava bastante enganado. Pensei em encontrar uma história onde bruxas boas, bruxas más, covens, rituais, esse tipo de coisa, mas o que eu encontrei foi algo completamente diferente. 

É um pouco difícil fazer um resumo do plot inicial, pois ele é divido entre dois períodos. No início do livro encontramos Nathan. Ele é uma espécie de prisioneiro em uma casa, ele vive dentro de uma jaula e dia após dia é obrigado a fazer várias coisas, de tarefas domésticas até corridas em volta da propriedade, aula de luta etc. Fuga está fora das opções, a mulher responsável por ele o vigia a todo tempo, e ele tem no corpo uma espécie de algema que a qualquer tentativa do jovem de tira-las uma solução ácida é liberada, e aparentemente o objeto é ativado por mágica. Essa parte da história é contada em segunda pessoa pelo ponto de vista do Nathan, fato um tanto quanto estranho, mas lendo você entende rs.

Em seguida conhecemos a vida de Nathan e vamos entender tudo que aconteceu até ele ser levado para a jaula. Os bruxos existem e vivem entre os humanos. Eles possuem todo um sistema político com um conselho e tudo mais ( essa é uma das várias referências a HP ). Existem bruxos da luz e bruxos das sombras, sabe-se que os bruxos das sombras são pessoas extremamente ruins que matam sem motivo e por isso o conselho os caçam. O filho de um bruxo só é de fato um bruxo quando completa 17 anos e um ritual é feito. Ele deve ingerir o sangue de um dos seus antepassados e receber três presentes, então ele vai receber o seu Dom, que pode ser qualquer tipo de coisa, seja voar, ficar invisível, mudar a aparência, etc.

Em um determinado dia a casa da família Byrn é atacada por Marcus, o mais terrível bruxo das sombras. Ele mata o chefe da família e engravida a esposa, e assim nasce Nathan. Por ser filho de um bruxo das sombras e uma bruxa da luz, Nathan é considerado um meio-código, e desde então o conselho enviava notificações que decidem tudo que o menino pode ou não fazer. Ele sempre foi rejeitado, desde quando era pequeno, sua irmão mais velha, Jéssica era a pior de todos. Sempre fazia comentários maldosos, e o tratava como um lixo. Na escola não era muito melhor, sofria bullying por que não sabia e não conseguia aprender a ler e escrever. 

As únicas pessoas que demonstravam afeto ao garoto era sua Avó que passou a cuidar das crianças após a morte da mãe e os outros dois irmãos, Deborah e Arran. Na escola Nathan conheceu Annalise, ela era de sua turma e também era bruxa. Por algum motivo a menina não sentia repulsão ao olhar para o garoto e uma amizade surgiu entre os dois, amizade que ficava em segredo, pois os irmãos de Annalise também estudavam ali. A família da garota era uma das poucas famílias de bruxos da luz pura e permanecer perto do meio-código era um ato gravíssimo. 

Conforme os anos vão passando, outras notificações do conselho vão chegando, deixando cada vez pior a vida do garoto. O conselho tinha algum plano que envolvia o menino, e provavelmente estava relacionado com o seu pai. Pai que o abandonara aos cuidados de uma família que não o queria, mas mesmo assim ele nunca deixara de pensar em como seria finalmente encontra-lo. O que será que vai acontecer quando Nathan finalmente completar 17 anos ?

Bom como eu disse anteriormente esse livro foi bem diferente do que eu imaginava. Esperava uma história sobre magia e encontrei algo sobre preconceito, uma ideia de bem e mal bastante equivocada e muita maldade.

A narrativa como eu disse, primeiramente é em segunda pessoa e depois em primeira pessoa, ambas pelo ponto de vista de Nathan. A leitura é bem fluída e descritiva na medida certa, com capítulos pequenos e um enredo que facilmente prende a atenção do leitor. É possível efetuar a leitura do livro em poucas horas.

Os personagens foi um ponto relativamente fraco da história. Temos bastante personagens envolvidos, mas nem todos eles foram trabalhados de uma forma bacana. Nathan é um rapaz bastante reservado, nunca conheceu o amor de verdade, sempre viveu da pior forma possível, de trapos e restos dos outros irmãos. O ódio era constante no seu dia a dia, seja em casa ou na escola. Mesmo aprendendo que seu pai era ruim e que deveria ser morto assim que encontrado, o menino não deixava de pensar como seria viver com ele, o menino nutre uma certa esperança de ter uma vida ao lado do pai, mesmo sabendo que as possibilidades são bem remotas.

A história em si é um tanto quanto estranha, tudo gira em torno de Nathan, seu pai e o conselho. O conselho que é a instituição bruxa responsável pelo controle de tudo, mas parece o vilão da história do que os bruxos da sombra. Tudo é feito a base de regras, e qualquer um que ousar desobedece-las sofrerão punições, principalmente os bruxos das sombras, que são caçados desde o nascimento. Temos aqui, praticamente a história de sobrevivência de Nathan, lutando contra o um conselho opressor, onde qualquer deslise pode ocasionar em sua morte, e um conflito interno, entre o bem e o mal, seja lá o que isso significa.

Os elementos fantásticos não foram muito desenvolvidos nesse livro, existem algumas diferenças entre humanos e bruxos, mas a maior delas é o fato de que cada bruxo possuí um Dom, e aparentemente essa é a única magia que o bruxo pode usar. 

Apesar dos apesares, Half Bad é um livrp bom, está longe de ser o melhor livro do ano, mas ele consegue cativar o leitor e te prender e fazer com que você sinta pena do Nathan durante o livro inteiro. Não é justificável o ódio que os personagens sentem pelo menino que pode ou não virar um bruxo das sombras. Recomendo esse livro para que gosta de história nesse estilo, mas deixo o aviso: Se você está procurando uma história de bruxas, esse não é o caso.

O segundo livro da série será lançado lá fora no ano que vem, confiram a capa e o título.



Bom gente, é isso.
See you later folks!