[ RESENHA ] A Profecia de Hedhen - Cristina Aguiar



Série: O Trono da Luz #1
Classificação: Young Adult
Gênero: Fantasia
Editora: Modo
Páginas: 451
Nota: 3,0/5,0








Sinopse:
Os Tronos eram forças que reinavam nos dias antigos com o título de “Luminares”, e através deles, a luz era derramada por todos os povos, espalhando sua sabedoria, justiça e paz. Mas as trevas, infelizmente, começaram a entrar naquele mundo e corromper os corações. Os Tronos foram enfraquecendo, e para manter a esperança eles criaram a Profecia, antes que sua luz fosse apagada de vez. A Profecia falava do retorno dos Tronos em dias futuros, onde este já seria dominado pelas trevas. Os três sinais dos “Luminares” estariam marcados nos corpos daqueles destinados a receber essa luz ancestral e poderosa. Dos três, um deveria assegurar o cumprimento dessa Profecia, sem se importar com as conseqüências; o outro deveria sacrificar a própria vida em troca da vitória; apenas um permaneceria oculto para sua própria segurança, pois em suas mãos repousaria o Cetro de Luz, símbolo dos antigos Tronos. Será que essas três pessoas, portadoras dos poderosos sinais, teriam forças para lutar contra o mal e trazer de volta a sabedoria, justiça e paz dos dias antigos?  " 
Fala pessoal! Tudo bom com vocês? 
Esse livro faz parte do Booktour realizado pela Lígia do blog Way To Happiness. A sinopse me pareceu bem interessante e achei a capa bem bacana, e resolvi participar.

O mundo de Hedhen era reinado pelos Tronos da luz, os Luminares (herdeiros dos tronos) governavam a terra com sabedoria e fé no Pai criador. Com o passar dos anos esse poder foi enfraquecendo e uma profecia foi criada. Uma parte da profecia dizia que no futuro a luz do Pai voltaria a brilhar e as trevas seriam mais uma vez eliminadas daquela terra.

A Rainha Cirene estava em trabalho de parto, contava com ajuda de Hulda uma sacerdotisa e uma parteira. Logo após o nascimento de sua filha, ela pediu a Hulda que levasse a criança embora, pois o futuro que lhe esperava era grandioso, e como ela estava a beira da morte, não confiaria a vida de sua filha a sua irmã Atalia, pois ela cultuava uma Deusa que pedia sacríficos da vida em torno de prosperidade.

Hulda ao fugir do castelo com Deborah, encontrou mais uma menina com a mesma idade. O destino das duas crianças estava interligado, e em suas costas existiam uma marca. Em Deborah uma lua e em Joel uma estrela. Hulda as levou para um lugar que fora esquecido pela maioria das pessoas, esse lugar era Gades. Em Gades as meninas cresceram e hoje já são mulheres adultas, ótimas guerreiras e estão prontas para enfrentarem seus destinos. Deborah é a Herdeira da profecia e Joel a Guardiã, cabem a elas o cumprimento dos testes e assim poderão retornar o tempo de luz que um dia existiu naquela terra.


Bom gente, eu demorei bastante para efetuar a leitura do livro, não por que o livro fosse chato, mas por que calhou do livro chegar num momento complicado por conta das provas da faculdade. Então, a leitura foi praticamente feita em doses homeopáticas rsrs.

A narrativa é feita em terceira pessoa, e a autora não foca somente nas duas personagens principais, Deborah e Jael. Muitos outros personagens se juntam a trama, e em determinados momentos suas aventuras também são narradas. A leitura é rápida, com uma fluidez bacana. O que eu senti falta no livro, é por se tratar de uma fantasia, eu não consegui me situar no mundo criado, eu não consegui enxergar os diversos ambientes do livro. A história é muito rica em situações, cenas de luta e lugares, mas a autora não conseguiu descrever a ponto de tudo se tornar visual, praticamente tudo que eu imaginava foi efeito de minha própria cabeça, a autora não me deu uma direção nesse sentido.

Os personagens são bacanas, mas as vezes são duros demais. Eles seguem aquela determinada personalidade e a autora se prendeu aquilo de uma forma desnecessária, dando a impressão de que são meros robôs. Deborah é a principal e herdeira de uma grande missão, é de se esperar que ela seja uma pessoa boa, altruísta e inteligente, e ela se mostra desse jeito, e em certos casos se questiona sobre o que está acontecendo, eu gostei bastante disso. Como eu disse, temos uma gama incrível de personagens secundários e alguns poderiam ter sido um pouco mais trabalhados. Alguns diálogos e discussões entre os personagens foram bem trabalhadas, outras nem tanto, e passam aquela sensação de algo super mecânico.
 - Sinto como se um grande peso fosse cair sobre mim a qualquer momento. Quando tento ver o meu futuro, só vejo escuridão.  

    - Você disse que o futuro não estava escrito.
Deborah sorriu.
    - Tem que acreditar em tudo o que eu digo?
Jael sorriu de volta.
   - Aprendi a confiar em você 
Pag. 36
O livro tem um foque muito grande na Fé. O Deus criador, que foi esquecido e com isso as pessoas perderam a esperança. A função da Herdeira ao concluir a profecia, era justamente restaurar a Fé e a esperança perdida durante os anos. É uma missão muito mais complicada, e a própria herdeira tem seus momentos de negação. Em meio a isso, vemos também muitas mensagens sobre o ato de perdoar e se redimir ao longo da narrativa.

Outro tópico presente no livro, é a presença feminina. As mulheres guerreiras são abundantes em todo o lugar, como as amazonas de Atalia ou parte do exército de Deborah. As próprias principais são um bom exemplo disso, ambas com uma posição de grande importância.


A história em si, é bacana com passagens marcantes e momentos de tensão, dosados com algumas situações divertidas. Apesar da temática mais séria, senti falta de algum personagem mais voltado pro lado divertido, pois os assunto são sempre a profecia e o cumprimento da mesma. O final foi satisfatório, apesar de que, eu já imaginava que aquilo iria acontecer, e não é muito difícil perceber que a história está caminhando para aquele acontecimento. Apesar do livro ser uma série, o primeiro livro é bem conclusivo.

Uma coisa que me irritou profundamente foi a edição da Modo. Não sei como descrever isso mas, eu sou o segundo a efetuar a leitura nesse booktour e o livro possui uma certa "dureza", ao abrir para efetuar a leitura você percebe aquele barulho como se as folhas estivessem sendo descoladas uma da outra. Os inícos de capítulos possuem uma ilustração de fundo em preto e branco que não deveriam existir. A editora optou por deixar o texto sobre a ilustração e é super complicado de enxergar aquelas partes durante a leitura. Em questão de diagramação e revisão não tenho o que reclamar.


Bom gente é isso, espero que gostem da resenha.
See you later folks!