[ RESENHA ] Convergente - Veronica Roth


Original: Allegiant
Série: Divergent #3
Classificação: Young Adult
Gênero: Distopia
Editora: Rocco
Páginas: 528
Nota: 2.0/5.0





Sinopse:
" A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. No poderoso desfecho da trilogia Divergente, de Veronica Roth, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor. " 

Bom gente, não vou me prender em contar a história pois se trata do último livro da série... E que série.

Minha história com essa trilogia é complicada. Ano passado ocorreu o lançamento de Insurgente e com isso tivemos o boom com essa nova distopia. Eu particularmente costumo fugir de livros com um hype muito alto, pelo simples motivo do hype atrapalhar a leitura, pois acabo criando muitas expectativas e nem sempre o livro é aquilo tudo. Mas enfim, acabei me rendendo e efetuei a leitura de Divergente( resenha ). Não foi o melhor livro da minha vida, foi bom, 3 estrelas. 


Com a conclusão do primeiro volume acabei pulando pro segundo, pois o final é meio aberto e tinha me deixado curioso. Insurgente já foi uma leitura diferente. Eu curti muito mais o livro, dando no final 4 estrelas( resenha ). Imagine então a expectativa que eu estava para a finalização da trilogia, que começou mais ou menos, mas que a sequência me animou? Pois é, eu esperava e muito dessa conclusão. E já não começou bem, fiquei sabendo do MEGA SPOILER e iniciei a leitura parte revoltado e parte incrédulo rs.

Ao iniciar a leitura, vemos que o livro passa ser narrado também por Tobias. Um dos primeiros erros e um dos mais graves feitos por Roth. Ela, ao meu ver, não soube diferenciar as narrativas. Ela propôs nesse livro mostrar o lado mais emocional do Tobias, resultando numa narrativa idêntica a Tris, eu ficava super perdido tentando lembrar quem estava narrando o que. O protagonista badass, virou uma adolescente com tpm. E isso foi um chute no estômago para aqueles que gostavam do personagem. Ele foi completamente descaraterizado, passou o livro inteiro de mimimi e só fez algo descente no final. 

O desenvolvimento do livro também ficou a desejar, logo no inicio tivemos um pouco de ação e foi isso. Acabou. O restante do livro é eles andando pra lá e pra cá dentro de um determinado lugar, conversando e só. A explicação dos divergentes e sobre o que era aquele mundo é feita mais de uma vez e aquilo não me convenceu. 

Tris é a personagem mais desenvolvida da série e a minha favorita. Ela sim foi a obra prima de Roth. E posso dizer que a autora foi corajosa em suas decisões para o final da série. Sim, o final foi satisfatório. O que aconteceu ali foi super coerente com os personagens e era de se esperar algo nesse sentido.

No geral é um livro super fácil de ser lido, mesmo com suas mais de 500 páginas a leitura fluí que é uma beleza. Mas infelizmente foi uma conclusão insatisfatória e não me agradou.

Bom gente, é isso.
See you later folks!