Coraline

Oi gente, tudo bem com vocês? 
Vamos a segunda resenha do ano \o/

Título: Coraline
Autor: Neil Gaiman
Páginas: 160
Editora: Rocco
Skoob
É o primeiro livro do Gaiman que eu leio, e posso dizer. O cara sabe o que faz. Não é atoa que ele é um dos autores mais comentados mundialmente. Coraline, apesar de ser um livro infantil(para adultos) nos mostra vários dilemas do dia a dia. A história possuí um toque meio sombrio, mas deixa aquela lição de moral no final.

Bom, o livro é contado em terceira pessoa. Coraline acabou de se mudar para uma espécie de vila. Nesse lugar existem 3 casas: A família de Coraline, As duas senhoras e o velho maluco. Coraline vive com seus pais, eles ficam a maior parte do tempo dentro de casa, pois trabalham cada um em seu escritório. Nossa personagem, como toda criança é bem curiosa e gosta de explorar as coisas, e sempre indaga aos pais o que fazer, e recebe sempre uma resposta evasiva, para que o assunto termine logo e a menina pare de pertubá-los.

Ela vive explorando o quintal, nele existe uma espécie de floresta, um velho poço, e uma velha quadra. Os outros moradores do local, ao contrário de seus pais, sempre dão atenção a menina, as Senhoras Spink e Forcible dizem ser antigas atrizes de teatro, e muitas de suas conversas se perdem em lembranças e devaneios que Coraline pouco entende. Com o velho do Sótão não é muito diferente, ele afirma que está treinando um circo de ratos, mas que ninguém pode vê-los, por que ainda não estão treinados. 

Já que os adultos não dão atenção e saciam a sede de conhecimento da menina, e ela acaba um dia descobrindo uma porta. Segundo sua mãe aquela porta, daria para um outro apartamento mas, não teria como passar por ela, pois está concretada. Logo após esse dia, durante a madrugada, Coraline descobre uma estranha movimentação pela casa, e seguindo as sombras percebe que a estranha porta estava entreaberta, ela simplesmente acha que sua mãe deve ter esquecido de fechar. Até que um dia, Coraline descobre que aquela porta, na verdade possuí uma saída, um grande corredor escuro que leva a um outro lugar, que é praticamente igual ao seu mundo, mas com algumas diferenças. Lá praticamente tudo é perfeito, seria o mundo ideial para Coraline e é lá que ela conhece o gato preto.

“ – Por favor, qual é o seu nome? – perguntou ao gato. – Olha, sou Coraline, ta?
O Gato bocejou lenta e cuidadosamente, revelando uma boca e uma língua de um rosa impressionante. – Gatos não tem nomes – disse.

-Não? – Perguntou Coraline. – Não – respondeu o gato. – Agora, vocês pessoas tem nomes. Isso é por que vocês não sabem o que vocês são. Nós sabemos o que somos, portanto não precisamos de nomes. “

Mesmo com toda a perfeição daquele lugar ela resolve voltar para casa, e ao voltar percebe que seus pais não estão mais lá, na verdade eles foram presos, pela mesma pessoa que criou o lugar de onde Coraline acabou de sair. Só resta a Coraline voltar para aquele lugar e fazer de tudo para salvar seus pais.

Neil Gaiman tem uma imaginação fantástica. Ele criou uma pequena história, mas que é rica em detalhes. Os diálogos entre Coraline e o Gato são ótimos, e existem muitas tiragens bacanas durante o livro. Logo no inicio é de doer o coração, ver a forma como os pais tratam a menina, com uma certa indiferença, como se ela fosse um incomodo mas, nem isso faz com que Coraline ponha de lado o amor que sente por eles. O livro tem seus momentos bonitos, e de certa forma nos faz refletir um pouco.

A narrativa do livro é bem fluída, trata-se de um livro infantil apesar de tudo. Os personagens possuem características bem distintas e bem salientadas. Não tenho muito o que extender ao falar sobre esse livro. Foi uma ótima introdução as histórias criadas por Gaiman, agora pretendo ler os outros, e logo mais trago as resenhas para vocês. 

Quote favorito:

" - Você realmente não entende, não é?  disse.- Eu não quero tudo o que eu quiser. Ninguém quer. Não realmente. Que graça teria ter tudo o que deseja? em um pisar de olhos e sem o menor sentido. E daí? "

Espero que tenham gostado.
See you later folks!